Que tal receber algumas recomendações de conteúdo personalizadas para você?

Qual seu interesse por marketing?

Tecnologia

Como empreender em tempos de crise e como o marketing digital pode ajudar

16 abril, 2021

Se o conceito básico de “empreendedorismo” já estava presente na sociedade há muitos anos, a popularização da palavra para definir o ato de identificar problemas e, a partir destes, encontrar oportunidades de rentabilização através da quebra de paradigmas, ofertando à sociedade soluções inovadoras para as adversidades cotidianas, é uma característica latente do novo mercado.

Ser empreendedor, portanto, vai além de ser empresário ou de desenvolver uma atividade própria. Essa é uma visão conservadora, que guarda pouca ou nenhuma relação com aquilo que se espera do novo empreendedorismo: a capacidade de identificar oportunidades ignoradas pelas demais pessoas e explorá-las através da prática de ideias inovadoras, sobretudo se o desejo for transformar aquilo que se ama fazer em negócio.

Segundo dados recentes do SEBRAE, cerca de 52 milhões de brasileiros dedicam-se ao seu próprio negócio. Cerca de 62% desses declaram que tal iniciativa decorreu da identificação de oportunidades mercadológicas que ninguém havia percebido até então.

São autênticos empreendedores que, no entanto, se viram obrigados a repensar sua matriz mercadológica e reinventar os seus próprios negócios nos últimos meses. O momento pelo qual estamos passando, com enfrentamento de uma pandemia de proporções globais e retração econômica, é um dos mais delicados das últimas décadas.

Até novembro de 2020, 60% das pequenas e médias empresas estabelecidas no mercado brasileiro tiveram que suspender ou interromper suas atividades. Outros 30% tiveram que adaptar o seu modelo de negócio para sobreviver às dificuldades impostas pelas limitações de funcionamento decorrentes da pandemia.

É possível empreender em um momento tão adverso? Sim. A principal característica de um bom empreendedor é a capacidade de transformar crises em oportunidades. Mas, antes de tudo, é necessário acreditar na proposta, ter coragem, resiliência e persistência para superar as adversidades e, sobretudo, entender que o momento que a sua empresa irá passar é um processo que exige dedicação e organização.

Apenas o empreendedor sabe o que fazer e como desenvolver suas atividades, entretanto, separamos algumas dicas para simplificar a sua jornada empreendedora durante esse período.

Os principais desafios e as grandes oportunidades

Ninguém, quando pensa em desenvolver um novo negócio, espera ter que enfrentar uma crise econômica, especialmente de proporções globais e que afeta a cadeia de consumo em todos os níveis. E o mais difícil é aceitar a desestabilização daquilo que já estava consolidado – ou caminhava para isso –, ainda que fosse uma simples ideia sobre o que fazer e como executar.

Entender como empreender em tempos de crise tem muito a ver com a capacidade de não se deixar abater pela dificuldade, buscando um aprendizado sobre o novo padrão social estabelecido durante e após o período de crise, e com a habilidade de rever e adaptar o conceito do negócio a este novo padrão.

É curioso perceber que o desenvolvimento de crises, de forma geral, segue um modelo bem definido: inicialmente, a tendência é de retração do mercado, com os consumidores evitando gastos supérfluos e se protegendo do impacto do desconhecido que está por vir; o que acontece depois é a chave para o sucesso – os padrões se transformam, a situação de exceção se torna o tão falado “novo normal” e o modelo de consumo é adaptado para este novo cenário.

Portanto, a solução mais básica para contornar os impactos de uma crise e entender como empreender neste cenário é a capacidade de repensar a lógica de desenvolvimento da atividade e o modelo de negócio, mantendo a sua essência, mas sem ter receio de adaptar o propósito do empreendimento à nova realidade.

Para entender melhor como empreender em tempos de crise, adaptando o seu negócio ao novo padrão de consumo, temos as seguintes recomendações:

1.  Planejamento é essencial

Antes de iniciar qualquer negócio, em qualquer circunstância – independentemente da situação econômica ou da existência de uma crise –, é fundamental planejar detalhadamente os passos que determinarão o desenvolvimento do seu empreendimento.

Planejar inclui entender como o seu produto está inserido no mercado, estudar a fundo o momento pelo qual esse mercado está passando e, diante de uma crise, entender quais são as tendências de comportamento do consumidor do seu produto. Isso ajudará a encontrar o melhor formato para desenvolver as atividades necessárias. A maior adversidade em tempos de crise é identificar se o produto será bem aceito por conta da instabilidade do mercado.

É preciso avaliar o ritmo de crescimento sustentável e a capacidade de adaptação do negócio após uma nova mudança de padrão, que pode ocorrer depois do momento de crise.

Ao contrário do que se pensa, não é arriscado abrir um negócio em tempos de crise, mas deve-se, claro, tomar cuidados extras. Planejamento é uma recomendação que deve ser seguida em tempos de calmaria e economia próspera; numa crise, a recomendação é redobrar a cautela.

2. Inovação e visão de mercado

A melhor definição de inovação é aquela que alia oportunidade com necessidade. Bons negócios, portanto, são aqueles que aliam o momento apropriado à chance de atender a uma demanda já existente.

A visão de mercado, por sua vez, é a inteligência que o empreendedor tem em atrair clientes para a expansão de suas atividades. São conceitos diferentes, mas complementares.

Quanto mais inovadora e necessária for uma solução para um problema de mercado, melhor será o cenário para o seu produto. A identificação do problema vai auxiliar na elaboração de uma solução – seu produto ou serviço – e na criação de ações que vão influenciar diretamente na oferta da mesma.

Mas não se engane: ter visão de mercado não significa ser obrigado a desenvolver um novo produto, mas ter a capacidade de adaptação das atividades de sua empresa a um modelo de negócio mais adequado ao período de crise. É o que fizeram, por exemplo, restaurantes que não realizavam serviço de entrega e passaram a fazer, lojas que não exploravam vendas online ou empresas que não desenvolviam atividades em home office.

3. Entender a necessidade do cliente

Lembre-se: você não é o único afetado pela crise. É um momento difícil para todos. Por isso, é preciso ter em mente que investir em relacionamentos e na capacidade de adaptar o seu negócio às necessidades do seu público-alvo são medidas que podem representar o diferencial entre sucesso e fracasso.

Entender como a sua empresa pode ser útil aos seus clientes e que tipo de apoio para consumo eles precisam no momento de crise pode ser o diferencial entre realizar uma venda e perdê-la para o seu concorrente. Talvez seja necessário dobrar ou estender as práticas convencionais para manter-se financeiramente forte durante a pandemia.

 4. Invista em soluções digitais

Em questão de meses, o panorama do Brasil e do mundo se transformou. Ficar em casa deixou de ser uma escolha e passou a ser uma das principais medidas preventivas para barrar a curva de contágio do coronavírus.

A mudança de padrão de consumo gerou avanços previstos apenas para daqui a alguns anos, especialmente quanto à aceleração digital. Empresas e indivíduos tiveram que dar um salto tecnológico para se adaptarem à nova dinâmica de trabalho. Se o marketing digital era visto como uma opção, com a pandemia, negócios que operavam no ambiente físico sofreram grandes consequências e passaram a vê-lo como um recurso essencial na amplificação da voz da sua marca.

As mudanças forçadas resultaram em um novo e diferenciado padrão de consumo que reduz a importância e a necessidade da oferta física de produtos e torna essencial o seu alcance digital, que, em circunstâncias variáveis, tornou-se o único canal entre cliente e empresa.

Alinhar o planejamento do marketing digital a esse novo comportamento, compreendendo as mudanças e nuances, coloca empresas em destaque, transformando algumas em referência em suas áreas. 

A tendência pós-pandemia é que marcas que não foram capazes de se adaptar ao processo de análise do comportamento do consumidor, identificando novas demandas, criando conteúdo relevante e se tornando presente nas vidas de seus clientes, tornem-se obsoletas.

Diante do “novo normal”, seja qual for a etapa ou objetivo do seu negócio, ter uma presença bem estruturada e mantida na internet, além de investir em estratégias de marketing digital, é fundamental para ele existir – e/ou resistir.

Quer uma ajuda para iniciar no mundo digital? Entre em contato e conte com a gente!

Newsletter VX Comunicação

Que tal receber algumas recomendações de conteúdo personalizadas para você?

Qual seu interesse por marketing?