Que tal receber algumas recomendações de conteúdo personalizadas para você?

Qual seu interesse por marketing?

Tecnologia

Inteligência Artificial: o que é e qual a sua importância nos dias atuais

6 maio, 2021

Vivemos atualmente em um mundo tomado pela tecnologia, o que, de fato, torna o nosso cotidiano bem mais prático: coisas que fazíamos antigamente – como, por exemplo, ir ao banco para pagar contas ou ao supermercado para fazer compras – hoje, podemos fazer online, sem sair de casa.

É inegável que os efeitos da pandemia da Covid-19 aceleraram o processo de desenvolvimento de novos hábitos e modelos de consumo, além da necessidade de nos adaptarmos a eles, para vivermos com mais segurança e comodidade. Empresas que não utilizavam a tecnologia em suas rotinas passaram a aderi-la, sendo obrigadas a se reinventar para sobreviverem em um mercado cada vez mais competitivo.

E uma tecnologia que já é usada pela sociedade e está entre nós desde antes da pandemia é a Inteligência Artificial. Seja para atividades simples do dia a dia – como fazer compras ou realizar alguma ação pelo celular –, essa flexibilidade e personalização da tecnologia permite a realização de tarefas tanto operacionais quanto mais estratégicas, que exigem tomadas de decisão. A Inteligência Artificial é aplicada em diversos casos e, cada vez mais, novos potenciais são revelados e novas possibilidades podem ser exploradas em seu uso.

Embora esta tecnologia já esteja sendo difundida há algum tempo, ainda há muitas dúvidas sobre o que é IA (sigla como é conhecida), como funciona e como é aplicada em diferentes segmentos de negócios. Para entender melhor e tirar suas dúvidas sobre o assunto, continue a leitura deste post até o final!

O que é Inteligência Artificial?

A IA é uma tecnologia que viabiliza a capacidade de máquinas pensarem como seres humanos, desenvolvendo o dom de aprender, raciocinar, analisar e decidir logicamente sobre fatos, resolvendo problemas que, até então, só poderiam ser solucionados por humanos. Em outras palavras, pode ser considerada como “máquinas que são inteligentes”, que podem tomar decisões de forma independente, ampliando a inteligência do ser humano em geral.

Baseada em dados digitais, a IA precisa ser constantemente “alimentada” para que possa continuar aprendendo e evoluindo, bem como acontece com uma pessoa. Numa visão mais otimista, esta tecnologia pode multiplicar a capacidade racional que o ser humano tem de resolver problemas, criar situações, pensar em respostas e desempenhar tarefas cotidianas, entre outros.

Para alguns, a IA pode parecer um processo complexo, que envolve um entendimento mais profundo acerca da utilização de dados. Para entender seu funcionamento, existe uma série de combinações de tecnologias que a torna possível, mas, na verdade, a IA é feita com processos de computação simples, como:

– Modelo de dados: estruturas que processam, categorizam e analisam dados de forma inteligente;

Big Data: grande quantidade de dados que são disponibilizados para serem processados; e

– Processamento de dados: acesso e manuseio de informações de maneira rápida e eficiente, de forma operacional e logística.

A história da Inteligência Artificial

A concepção de algo artificial que simula a inteligência humana não é tão recente quanto parece: o assunto tem sido motivo de discussão há muito tempo na história da humanidade. Um dos personagens marcantes para a IA foi Alan Turing, que, em seus estudos, descobriu uma maneira de fazer testes com máquinas, conhecida como “o teste de Turing”, que avaliava a possibilidade de máquinas se passarem por humanos através de conversas por escrito.

Mas foi em 1956 que a IA teve sua origem de fato, sendo criado um campo de estudo para ela pelo professor John Mc Carthy, com o pensamento de desenvolver uma máquina na qual tivesse a capacidade de pensar e agir como um ser humano. Depois, em 1964 foi criado o primeiro chatbot do mundo, denominado Eliza, sendo a primeira máquina inteligente a realizar conversas através de dados.

Com o passar do tempo, a IA foi se desenvolvendo e apresentando soluções inovadoras, sempre em busca do aprimoramento das máquinas inteligentes com a utilização de dados e algoritmos, aperfeiçoando-se na similaridade racional, como a do ser humano.

A importância da IA nos dias atuais

Quando paramos para pensar na importância que a IA tem atualmente, na capacidade que as máquinas inteligentes têm de armazenar e processar uma grande quantidade de dados – que nós, meros seres humanos, não temos condições de fazer –, chegamos à conclusão de que não é mais possível viver sem a IA. Ela está superpresente em nosso dia a dia, em diversas atividades que fazemos e ações que tomamos, tornando nossa vida muito mais fácil e prática.

As máquinas inteligentes desempenham o papel de raciocinar, decidir e encontrar soluções para problemas típicos da humanidade. Alguns exemplos que podemos citar da IA – os quais nem requerem mais supervisão humana – são carros que não necessitam de motorista, autoatendimento nos caixas de supermercado e chatbots no atendimento aos clientes online, entre muitos outros.

A IA está tornando os processos mais ágeis e eficazes, ajudando as empresas a tomarem decisões mais acertadas, processando e analisando um grande volume de dados. Com os dados sendo processados pelas máquinas inteligentes, que acabam fazendo o trabalho “mais bruto”, o ser humano pode desenvolver atividades que exigem criatividade e empatia, qualidades humanas que um robô não consegue suprir.

Quais tecnologias fazem parte da IA?

A Inteligência Artificial pode ser interpretada por códigos que fazem a leitura de dados cumprindo uma infinidade de comandos que possuem a capacidade de imitar os humanos. Mais do que ensinar máquinas a pensar, a IA passa por várias áreas da ciência da computação, sendo composta por tecnologias que ajudam a adquirir a inteligência necessária para aprender como humanos. Vamos conhecer algumas dessas tecnologias que fazem parte da IA:

Machine Learning

O Machine Learning é o aprendizado de máquina no qual computadores tornam-se capazes de aprender e evoluir. Em vez de seguir regras programadas para saber o que fazer, a máquina aprende por si só as regras a partir da análise de dados, chegando à conclusão do que fazer por conta própria. Como exemplo, podemos citar as recomendações personalizadas das plataformas de streaming Netflix e Amazon, que indicam títulos de filmes e séries de acordo com o que o usuário assiste. Conforme o usuário vai incluindo dados nas plataformas, que ficam armazenados com o tempo, o sistema aprende o que ele gosta de assistir e faz as indicações.

Outro exemplo: a máquina inteligente monitora todas as ações de clientes em um site e identifica seus padrões de consumo, como quando eles veem o produto X e também demonstram interesse pelo produto Y. Assim, quando o usuário faz uma busca, o sistema indica o outro produto, pois sabe que há uma relação entre as pesquisas.

O que o Machine Learning faz é demonstrar a capacidade que as máquinas têm de aprender usando dados, identificando padrões para encontrar soluções e tomar decisões para certas situações sem a interferência humana, viabilizando uma inteligência em grande escala.

Deep Learning

O Deep Learning é o aprendizado profundo, sendo um aprofundamento do Machine Learning, tornando-o mais inteligente e mais complexo. Esta tecnologia utiliza algoritmos mais sofisticados, que tornam os resultados mais assertivos. Alguns dizem que ele chega a “imitar a rede neural do cérebro humano”, adquirindo um conhecimento que necessita de pouca ou nenhuma supervisão humana.

Como exemplo, voltamos a citar as plataformas de streaming como Netflix e Amazon. Desta vez, a tecnologia identifica exceções de pesquisas dos usuários e entende melhor que tipo de sugestões fazer para que não sejam sugestões desqualificadas. O Deep Learning entende pesquisas de termos não relacionados nas plataformas, percebendo com mais agilidade e rapidez o que o usuário está buscando, evitando, assim, que algumas exceções de seu comportamento tornem-se regras.

Com a complexidade da tecnologia do Deep Learning, a IA é capaz de entender os pensamentos humanos com mais detalhamento que o Machine Learning.

Processamento de Linguagem Natural (PLN)

O Processamento de Linguagem Natural é a tecnologia responsável por reconhecer uma linguagem mais natural da forma humana, encontrando padrões em grandes conjuntos de dados analisados. Como exemplo dessa aplicação podemos citar a análise de sentimentos dos usuários, em que algoritmos procuram padrões de comentários em publicações nas redes sociais para compreender como os clientes se sentem em relação às marcas e aos seus produtos ou serviços.

Outro exemplo é o atendimento que empresas fazem aos seus clientes via chatbots, transformando as conversas mais humanizadas e o contato mais harmonioso. Quando a tecnologia PLN não é incorporada no chatbot, o robô de conversa fica muito artificial, fazendo a linguagem com o usuário ser muito monótona e sem sentido.

Os benefícios que a IA traz

A IA trouxe muitos benefícios para os negócios, sendo incorporada em etapas operacionais e mais estratégicas com uma multiplicidade de aplicações. Vamos conhecer algumas dessas vantagens que a tecnologia está proporcionando para as empresas.

Automação de atividades

Um dos grandes benefícios da IA para as empresas é a possibilidade de automatizar processos computacionais volumosos, diminuindo a necessidade de pessoas para a execução de tarefas que eram consideradas manuais. A tecnologia pode substituir tarefas operacionais otimizando os processos e melhorando o desempenho do negócio.

Previsibilidade

A IA possibilita, também, prever acontecimentos de mercado, comportamentos e processos com a grande análise de dados feita, que identifica padrões e faz previsões de coisas que podem acontecer analisando eventos passados. É possível considerar infinitos dados e cenários para prever eventos, proporcionando uma tomada de decisão mais assertiva e estratégica.

Análise mais aprofundada dos dados

E não podia ser diferente: a IA proporciona uma capacidade interpretativa na análise de dados com muito mais profundidade, gerando, assim, mais inteligência na identificação de padrões e previsões do resultado final, permitindo extrair informações mais precisas e complexas dos dados.

Constante melhoria

A IA também viabiliza uma evolução constante na utilização de dados. Conforme eles são analisados, são construídas estruturas interpretativas mais complexas e eficazes. Quanto mais dados são adquiridos e analisados, mais coisas são aprendidas a partir dessas informações e mais efetivas as análises se tornam.

Agora que você aprendeu o que é a IA, entendeu como ela funciona e a sua importância nos dias atuais para empresas e indivíduos, percebeu que muitas das coisas que usamos/fazemos em nosso dia a dia e que antigamente não existiam, hoje, não conseguimos ficar sem! Quer saber como implementar a IA nos seus negócios? Nós podemos te ajudar! Entre em contato com a gente agora mesmo!

Newsletter VX Comunicação

Que tal receber algumas recomendações de conteúdo personalizadas para você?

Qual seu interesse por marketing?