Que tal receber algumas recomendações de conteúdo personalizadas para você?

Qual seu interesse por marketing?

Negócios

O que são soft skills e como desenvolvê-las para crescer na carreira

27 setembro, 2021

Com o avanço da tecnologia, novos modelos de trabalho têm surgido, como as startups (pequenas empresas), o home office e o trabalho informal, com o empreendedorismo. O mercado está cada vez mais competitivo em qualquer segmento e, para conseguir o emprego dos sonhos, é preciso ter conhecimentos técnicos e qualificação adequada.

Faculdade, cursos complementares e pós-graduação são requisitos essenciais para montar um bom currículo e concorrer a uma vaga de emprego. São competências fundamentais, em qualquer área. Mas para se destacar no mercado de trabalho, além das habilidades técnicas, as habilidades comportamentais – as que demonstram as características emocionais e sociais de uma pessoa – também são muito importantes e podem até determinar a qualificação ou não de alguém para um determinado trabalho.

Essas habilidades “não-técnicas” comportamentais que o ser humano desenvolve ao longo da vida são conhecidas como “soft skills”. Elas podem ser entendidas como o comportamento e a postura que uma pessoa tem em um emprego – ou em qualquer outra situação da vida – e que influenciam no seu desempenho e na avaliação de seu trabalho, além dos conhecimentos técnicos propriamente ditos.

Como este assunto gera bastante interesse e dúvidas para quem se preocupa com a carreira e quer conseguir um emprego, vamos explicar o que são as soft skills e como elas podem ajudar – e influenciar – no desenvolvimento profissional e pessoal. Quer saber um pouco sobre isso? Acompanhe o nosso post!

Afinal, o que são as soft skills?

Durante muito tempo, as habilidades técnicas (também chamadas de “hard skills”) eram os únicos requisitos para se conseguir um emprego. Com o tempo, as soft skills foram ganhando importância e, hoje, já fazem parte do vocabulário corporativo, se popularizando entre as organizações e transformando o modo de agir do mercado, que passou a valorizar as competências socioemocionais dos profissionais.

As soft skills são definidas como habilidades comportamentais e de relacionamento interpessoal, ou seja, a maneira como uma pessoa se comporta ou lida diante de diferentes situações. Essas habilidades estão relacionadas à personalidade do indivíduo, que reflete o modo como ele convive com outras pessoas e como executa suas funções profissionais, por exemplo.

E de onde vem o termo “soft skills”? “Soft” em inglês significa “macio”, mas, neste caso, está relacionado a “interpessoal”, ou seja, algo que vem de dentro das pessoas, da maneira de ser; já “skills” quer dizer “habilidades”. Por isso, traduzimos como habilidades interpessoais, comportamentais ou socioemocionais. Algumas dessas habilidades são a capacidade de se comunicar bem, de ter empatia com o próximo, de praticar resiliência, de ter pensamento crítico e por aí vai…

E as hard skills?

As “hard skills” podem ser classificadas como as principais competências requisitadas no mercado de trabalho: são as habilidades profissionais relacionadas ao conhecimento teórico e prático de um indivíduo, o que se aprende estudando por anos e que depois é colocado em prática na execução de tarefas funcionais no ambiente de trabalho. São os requisitos solicitados na descrição de uma vaga de emprego, sendo, na maioria dos casos, obrigatórios e eliminatórios.

Possuindo as competências técnicas necessárias, um colaborador consegue executar suas funções corretamente, sem dificuldades. Um redator, por exemplo, deve ter conhecimentos específicos de sua língua, excelência gramatical e familiaridade com o pacote Office, entre outros requisitos. Já um desenvolvedor precisa ter conhecimento em HTML, programação, softwares e outras ferramentas.

Mas esses profissionais também precisam das competências comportamentais e emocionais (as soft skills), que irão mostrar como eles atuam – em combinação com suas habilidades técnicas – diante de diferentes situações no ambiente de trabalho.

A importância das soft skills para o mercado de trabalho

Nos últimos anos, as soft skills ganharam relevância no mercado de trabalho, tornando-se tão importantes quanto as hard skills. Isso porque as soft skills têm apresentado bons resultados para os negócios, criando um ambiente de trabalho mais saudável e produtivo, melhorando, também, as relações interpessoais.

A visão de que é necessário apenas conhecimento técnico para a produção e execução de tarefas foi mudando aos poucos: as empresas começaram a perceber que lidam com pessoas, não com máquinas. Então, as dinâmicas do mercado mudaram e demonstrar habilidades comportamentais passou a ser tão importante quanto dominar as habilidades técnicas.

As empresas observaram que seus colaboradores possuem uma bagagem de qualidades e experiências, refletidas em seu dia a dia de trabalho. Essas características internas, alinhadas com as atividades e a cultura das empresas, tornam as equipes mais comprometidas e mais produtivas, trazendo melhores resultados.

As soft skills ajudam na resolução de problemas, fazem com que as pessoas se comuniquem melhor, aperfeiçoam a capacidade de liderança de gestores e trazem mais motivação entre os profissionais, além de criar um clima organizacional mais amigável entre os colaboradores, criando relações de confiança e unificando o trabalho das equipes. O potencial que cada pessoa pode apresentar no ambiente de trabalho é o que faz as empresas valorizarem tanto, atualmente, as soft skills.

As soft skills que estão em alta

Existem várias soft skills as quais podemos aprender e aprimorar, mas dominar todas é difícil. Por isso, o ideal é escolher aquelas que tenham mais a ver com a área de atuação do seu negócio e, de acordo com a personalidade de cada pessoa, trabalhá-las. A seguir, apresentamos algumas soft skills que estão em alta e que frequentemente aparecem como requisitos de vagas de emprego muito valorizados em um ambiente de trabalho. Vamos conhecê-las?

1.       Colaboração

Uma das principais soft skills, em qualquer área de trabalho, é a colaboração. Ser colaborativo é demonstrar empatia pelo próximo e estar disposto a ajudar, sem pensar o tempo todo em si mesmo. Saber trabalhar em equipe, discutir ideias, respeitar a opinião alheia e estar aberto para a troca de conhecimento e experiências são características muito bem vistas por recrutadores durante a entrevista de emprego e, claro, depois da contratação.

2.       Flexibilidade

Ser uma pessoa flexível, preparada para mudanças e que sabe se adaptar a qualquer ambiente são outras habilidades muito valorizadas no mercado. Recrutadores sabem que podem contar com pessoas que têm essas habilidades para novos projetos ou utilização de novas tecnologias.

3.       Resiliência

Independente da área de atuação, trabalhar sob pressão faz parte de qualquer rotina. Prazos e resultados são uma constante no cotidiano das empresas. Saber enfrentar esses desafios com calma, sensatez e foco é o que torna uma pessoa resiliente, que encara situações difíceis sem se abater e entende que erros fazem parte da vida e que devem servir de aprendizado.

4.       Comunicação clara

Por fim, e não menos importante, é essencial ter uma comunicação clara: se expressar bem, com qualquer pessoa e sobre qualquer assunto, é supervalioso. Saber ouvir e compreender o outro, em um ambiente coletivo de trabalho, ajuda a melhorar o relacionamento entre colegas, clientes e gestores, além de evitar retrabalho por erros causados por falha de comunicação.

Como desenvolver as soft skills

Para desenvolver as soft skills, é preciso, primeiramente, se conhecer bem: é necessário identificar quais são seus pontos fortes e reconhecer seus pontos fracos. O ideal é desenvolver as soft skills na faculdade ainda; por isso, cada vez mais as empresas estão preferindo contratar pessoas mais jovens ou recém-formadas.

Há soft skills que são mais relevantes para determinadas áreas de atuação. Portanto, é essencial analisar caso a caso. Antes de pensar em desenvolver suas soft skills, identifique quais serão as mais adequadas, a depender da área de seu interesse. Também é importante considerar que cada soft skill possui suas particularidades e maneiras de ser desenvolvida individualmente. Confira a seguir algumas dicas para desenvolver suas soft skills:

1.       Esteja apto a aprender

Para desenvolver suas soft skills, você deve, primeiro, identificá-las; depois, aprender a usá-las. Mesmo não tendo um curso ou formação específica, as soft skills podem ser aprendidas: sua mente deve estar aberta e apta para isso. Comece devagar, aos poucos. Pratique a escuta e a empatia, reflita sobre a sua relação com as pessoas e avalie se houve alguma alteração. Muito em breve, você estará motivado a desenvolver suas soft skills.

2.       Faça uma pausa para refletir

Com a correria do dia a dia, muitas vezes não temos tempo para parar e refletir. A autorreflexão é importante para observarmos as soft skills para as quais já possuímos certa aptidão as que precisam ser aprimoradas. É preciso, também, sair da zona de conforto e praticá-las rotineiramente.

3.       Pratique bastante

Como falamos, não adianta saber que soft skills você possui se você não as utiliza na prática. Para quase tudo na vida, a perfeição só se alcança com a prática. Com as soft skills não é diferente. Então, sempre que surgir uma oportunidade de praticar determinada soft skill, não pense duas vezes: pratique. Mesmo não dando certo logo no início, não desista. Continue tentando e praticando até que você consiga aperfeiçoá-las.

4.       Dê e receba feedbacks

Desenvolver soft skills é uma atividade pessoal, mas que pode ser coletiva. Da mesma forma que você procura aperfeiçoar suas habilidades comportamentais, outras pessoas também fazem o mesmo. Tudo é aprendizado e não existe competição. A ajuda ao próximo é uma forma de mostrar empatia e compartilhar conhecimento e experiências.

Por isso, dê feedbacks com dicas e conselhos de como melhorar alguma atitude que você porventura identificou em uma outra pessoa. E lembre-se que você também poderá receber feedbacks. Apenas não os leve para o lado pessoal; observe-os como uma oportunidade de aprimorar as suas soft skills.

Agora que você percebeu como é importante desenvolver suas soft skills – tanto para o seu desenvolvimento pessoal como profissional – e combiná-las com suas hard skills, que tal identificá-las e começar a colocá-las em uso? Caso precise de ajuda, estamos à disposição! Entre em contato conosco agora mesmo.

Newsletter VX Comunicação

Que tal receber algumas recomendações de conteúdo personalizadas para você?

Qual seu interesse por marketing?