Que tal receber algumas recomendações de conteúdo personalizadas para você?

Qual seu interesse por marketing?

Negócios Tecnologia

Pagamentos pelo WhatsApp: aprenda a utilizar esta nova funcionalidade

25 junho, 2021

Você se recorda da última vez que conseguiu passar um dia inteiro sem utilizar o WhatsApp? Não é novidade que o aplicativo virou parte da rotina diária, sendo utilizado para a comunicação pessoal, em ambiente de trabalho e até como um poderoso canal de vendas.

Criado em 2009, o objetivo inicial do aplicativo era bem simples: oferecer uma alternativa dinâmica à troca de mensagens tradicional via celular, fundamentada, na época, no SMS. Com o passar dos anos, diversas funcionalidades foram sendo adicionadas, permitindo desde o compartilhamento de fotografias e troca de mensagens por áudio até a realização de ligações por videoconferência, funcionalidade cada vez mais importante nos dias atuais.

Pois bem, no dia 4 de maio de 2021, o aplicativo lançou no Brasil a sua mais nova funcionalidade: o WhatsApp Pay, uma ferramenta própria que permite, de forma simples e rápida, a transferência de dinheiro entre usuários sem a necessidade de acesso às plataformas bancárias ou pagamento de taxas pelo serviço.

A ferramenta chega ao mercado com uma proposta ousada: apostar na simplicidade, facilidade e velocidade do procedimento de transferência de recursos para dinamizar as operações financeiras entre pessoas físicas (por enquanto, a função não foi disponibilizada para pessoas jurídicas).

E aí, você já utilizou o WhatsApp Pay? Ficou interessado e deseja saber um pouco mais sobre a ferramenta e como ter acesso ao novo recurso? Então continue lendo para saber todos os detalhes!

O que é o WhatsApp Pay?

O WhatsApp Pay ou WhatsApp Pagamentos é uma nova ferramenta, associada ao WhatsApp, que permite aos seus usuários realizar, de forma simples e rápida, pagamentos ou transferências de dinheiro utilizando a interface básica do próprio aplicativo.

Trata-se de um serviço fundamentado em operações financeiras, devidamente regulamentado, com aprovação de funcionamento concedida pelo Banco Central do Brasil no último dia 30 de março, cujas funcionalidades englobam dinamismo, facilidade de utilização, celeridade e segurança das transações.

O Brasil, que conta com 130 milhões dos mais de 2 bilhões de usuários do aplicativo no mundo, foi o segundo país escolhido pelo Facebook, (controlador do WhatsApp) para a disponibilização da nova funcionalidade, logo após a Índia. E existe uma explicação para essa escolha: o mensageiro está presente em 99% dos celulares existentes no Brasil e com acesso diário por 98% dos seus usuários no país, o que garante um rápido potencial de expansão e popularização da nova funcionalidade.

Como funciona o WhatsApp Pay?

O recurso funciona de forma semelhante a uma transferência bancária, como os já tradicionais TED e DOC ou o novato, mas já bastante popular, Pix. Ou seja, o dinheiro sai da conta de quem enviou e é depositado diretamente na conta de outra pessoa. Uma das principais apostas da empresa é a possibilidade de realizar transações financeiras 24 horas por dia, 7 dias por semana.

O serviço é destinado aos usuários do aplicativo que tenham mais de 18 anos (com checagem pelo CPF, no cadastro inicial) e exige a utilização de cartões de débito, pré-pagos ou os chamados cartões combo (que oferecem as opções de débito e crédito) emitidos por bancos parceiros (Banco do Brasil, Inter, Bradesco, Itaú, Mercado Pago, Next, Nubank, Sicredi e Woop Sicredi, com as bandeiras Visa e Mastercard). A empresa garante que, para usuários pessoa física, o uso do serviço de transferência não tem nenhum custo, inexistindo taxas ou cobranças incidentes.

Existe um planejamento específico para que, no futuro, exista uma integração entre a plataforma de pagamento com o Pix, mas ainda não é uma realidade.

Por ora, o serviço só está liberado para transações entre pessoas físicas, mas a empresa promete acrescentar a opção de pagamentos para pessoas jurídicas em breve, sem, entretanto, indicar data ou previsão para a disponibilização desta função. 

Como ter acesso ao novo recurso?

A função de pagamentos funciona através do Facebook Pay, mas não é necessário ter conta no Facebook para a utilização e todo o procedimento pode ser realizado através da plataforma do WhatsApp, inclusive o cadastramento inicial, exigido no primeiro acesso.

O procedimento de cadastramento, contudo, possui caminhos diferentes, dependendo do sistema que você utiliza – Android ou IOS. Abaixo, um passo a passo do que é necessário fazer em cada sistema.

No Android:

1 – Clique no menu, no canto superior direito;

2 – Selecione a opção “Pagamentos”;

3 – Toque na opção “Facebook Pay”;

4 – Toque em “Continuar”;

5 – Crie um PIN de seis dígitos para usar nas transações;

6 – Toque em “Avançar”;

7 – Se desejar usar a biometria, ative-a; caso contrário, selecione “Pular”;

8 – Digite seu nome, telefone e CPF e toque em “Avançar”;

9 – Insira os dados do seu cartão de débito, nome, número, data de validade e código CVV; e

10 – Toque em “Salvar”.

No IOS (iPhone):

1 – Toque em “Ajustes” (ícone da engrenagem);

2 – Selecione a opção “Pagamentos”;

3 – Depois, selecione “Facebook Pay”;

4 – Toque em “Continuar”;

5 – Crie um PIN de seis dígitos para usar nas transações;

6 – Toque em “Avançar”;

7 – Se desejar usar o Face ID ou Touch ID para autenticar as transações, ative-os ou toque em “Agora não”;

8 – Digite seu nome, telefone e CPF e toque em “Avançar”;

9 – Insira os dados do seu cartão de débito, nome, número, data de validade e código CVV; e

10 – Toque em “Salvar”.

Em ambos os métodos, finalizado o procedimento, o sistema exigirá uma verificação do cartão. Ao tocar no botão “Verifique agora”, você poderá escolher o melhor formato: via mensagem de texto, e-mail ou pelo aplicativo do banco. Um código será gerado em um dos métodos para ser inserido no WhatsApp e verificar o cartão. Uma vez finalizado o procedimento, o seu cartão já está cadastrado e os pagamentos já podem ser feitos no WhatsApp Pay.

Após fazer a configuração inicial descrita, para fazer novas transferências, basta o usuário tocar no “clipe de papel” ou no item com sinal de soma (+) no espaço onde se digita, na tela de contato com o usuário recebedor. Entre as opções, como documentos, fotos e vídeos, sala e localização, também aparecerá a opção “Pagamentos”. 

A partir daí, basta inserir o valor desejado, com a possibilidade de escrever uma mensagem, se quiser, e clicar na seta para enviar. Será solicitado o PIN (salvo durante a configuração), que, após digitado de forma correta, confirmará a transação através de uma mensagem que irá aparecer na própria conversa. 

Após realizado o primeiro cadastro, toda a operação pode ser realizada em menos de 30 segundos. Caso o seu aplicativo não tenha a função no menu, pode ser necessária uma atualização na loja virtual.

O mais importante: o WhatsApp Pay é seguro?

Um estudo realizado pela Akamai, empresa que trata de segurança online e experiência digital, revelou que aproximadamente 60,36% dos usuários não consideram o WhatsApp Pay seguro. Entre os 1.100 entrevistados, apenas 34,18% das pessoas informaram que pretendem utilizar a ferramenta, sendo a principal justificativa a falta de segurança nas operações.

Mas existe, de fato, risco nas operações financeiras realizadas através do WhatsApp Pay?

Primeiramente, é necessário destacar que o serviço foi regulado pelo Banco Central e aprovado em 30 de março do corrente ano, após nove meses de análise pelo órgão regulador, e funciona como uma empresa que viabiliza serviços de compra, venda e movimentação de serviços, sem a possibilidade de obtenção de empréstimos ou pagamentos.

Na prática, isso significa que o WhatsApp não tem acesso direto ao dinheiro depositado em uma conta bancária, limitando-se a tão somente executar uma ordem de transferência a pedido do cliente. E é justamente essa operação que é protegida por várias camadas de segurança, como o PIN do sistema de pagamentos e a biometria em dispositivos onde a tecnologia está disponível.

Além disso, o serviço de pagamentos foi desenvolvido com um conjunto de princípios de segurança e privacidade, que vão desde a existência de criptografia entre o telefone do usuário e os servidores WhatsApp – que serve para manter as informações da conta de pagamento seguras – até o monitoramento e a limitação de acesso aos dados bancários nos servidores da plataforma de origem, o Facebook Play.

Na prática, só é possível enviar dinheiro através do WhatsApp Pay mediante inserção de informações corretas dos dados bancários do usuário, com biometria ou leitura fácil e inserção do PIN para pagamento, o que faz o nível de segurança ser semelhante ao de um aplicativo de banco existente em aparelhos celulares.

O WhatsApp garante, ainda, que, em caso de invasão de uma conta do WhatsApp, a operação financeira será impossível de ser realizada pois, além da exigência do PIN para completar a operação, a mudança de aparelho impõe uma redefinição das informações de pagamento, sendo exigido o procedimento inicial.

Outro ponto de segurança está nas limitações impostas pelo próprio servidor do serviço. Isso porque os pagamentos só podem ser feitos dentro do Brasil e são limitados a R$1.000,00 (mil reais) por transação e R$5.000,00 (cinco mil reais) ao mês.

Vale destacar, entretanto, que não há a possibilidade de reversão de uma operação. Ou seja, se o usuário fizer uma transferência sem querer para um contato desconhecido, caberá a ele tentar reaver o dinheiro.

O mesmo se aplica a golpes que são originados em engenharia social, ou seja, quando o golpista consegue convencer o usuário a transferir recursos por motivos indiretos (como, por exemplo, se passando por outras pessoas) ou quando o usuário fornece todos os dados de pagamento a terceiros.

E é justamente por isso que o WhatsApp destaca que o objetivo da ferramenta é facilitar as operações financeiras entre usuários conhecidos e ainda não há disponibilização de procedimentos para empresas.

O que representa a chegada do WhatsApp Pay?

O WhatsApp Pay representa ao consumidor uma nova opção de serviço financeiro, mais prático e mais simples que as operações que exigem o intermédio de aplicativos bancários, mas com o mesmo grau de segurança.

O potencial do novo serviço é enorme, pois está aberto às novas funcionalidades e poderá funcionar através das operações financeiras tradicionais, Pix ou até mesmo por transferência de criptomoedas, além de impactar na forma como as negociações são feitas, especialmente quando o serviço chegar às empresas.

E aí, gostou da nova funcionalidade do WhatsApp? Está pronto para fazer a sua primeira transferência utilizando a ferramenta? O aplicativo veio para ficar e promete entregar dinamismo às relações financeiras.

Newsletter VX Comunicação

Que tal receber algumas recomendações de conteúdo personalizadas para você?

Qual seu interesse por marketing?