Que tal receber algumas recomendações de conteúdo personalizadas para você?

Qual seu interesse por marketing?

Tecnologia

O que é a LGPD e o que ela impacta na sua empresa

27 agosto, 2020

Constantemente, somos bombardeados com notícias sobre novos vazamentos de dados de usuários com a invasão de bancos de informações de diversas empresas. Cada vazamento permite que informações sensíveis de milhões de pessoas tornem-se pública ou, pelo menos, de acesso a pessoas mal intencionadas.

Grandes empresas como LinkedIn, Adobe, Facebook, Uber e até Netflix já passaram por esse tipo de invasão de dados, mostrando o quanto estamos vulneráveis. Por isso, leis foram criadas em diversos países do mundo para tornar a captação de dados pessoais mais segura.

Esse tipo de legislação começou na Europa com a criação e vigência da GDPR, a lei de proteção aos dados europeia.

No Brasil, a LGPD, ou Lei Geral de Proteção de Dados, foi recentemente criada visando gerar essa segurança e se torna obrigatória para todas as empresas que usam dados de usuários brasileiros.

Quer saber mais? A seguir, explicamos tudo sobre a LGPD e como ela vai afetar o seu negócio!

O que é a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais?

A Lei 13.709/2018, mais conhecida como Lei Geral de Proteção de Dados ou LGPD foi sancionada em 2018 e foi criada para garantir mais segurança com relação a dados pessoais do usuário.

Assim, ela permite que o usuário tenha os devidos poderes sobre seus dados, podendo alterá-los ou excluí-los da base de dados de qualquer empresa, caso queira.

A LGPD foi criada seguindo mais ou menos as premissas da GDPR europeia, que já está em vigor desde maio de 2018.

Na prática, os usuários terão que entender claramente de que formas suas informações serão utilizadas pelas empresas e também vai possibilitar que eles peçam a remoção completa delas da base de dados.

Isso também significa que as empresas terão de ser extremamente minuciosas em seus termos de uso, deixando explícito todas as formas de uso dos dados dos usuários. Além disso, elas precisarão oferecer formas do usuário ser capaz de gerenciar seus dados na base.

A LGPD é obrigatória a todas as empresas que, de alguma forma, lidam com dados de usuários brasileiros.

Como se adaptar às novas regras?

Já deu para entender que a captação de dados dos usuários vai ser profundamente afetada pela LGPD. Mas como se adaptar às novas regras?

O Marketing certamente é um dos setores que vai precisar se adaptar para continuar  captando os dados dos usuários e alcançando o público de forma eficiente.

É de se imaginar que esse tipo de lei poderia prejudicar a atuação do Marketing mas, na realidade, há a oportunidade de melhorar ainda mais o relacionamento das empresas com seus respectivos públicos.

Para entender melhor, explicamos como a LGPD vai afetar o Marketing em diferentes áreas e como se adaptar a essas mudanças.

Inbound Marketing

Você provavelmente já entende que o Inbound Marketing depende diretamente da captação de dados dos usuários para, então, criar um relacionamento com possíveis clientes. Quem trabalha com esse tipo de metodologia vai perceber que a aplicação da LGPD pode ser uma forma de aprimorar ainda mais essa captação.

Uma vez que uma das premissas do Inbound Marketing é gerar um interesse espontâneo dos usuários através dos conteúdos gerados pela empresa, aqueles usuários realmente interessados irão conceder o acesso aos seus dados, melhorando a efetividade dessa estratégia nos negócios.

Assim, o relacionamento torna-se ainda mais eficiente e permanece totalmente dentro da legalidade exigida pela LGPD.

Geração de Leads

A geração de Leads também vai ser muito afetada pela LGPD uma vez que será obrigatório garantir o consentimento do usuário a participar do seu banco de dados.

Isso significa que é obrigatório utilizar, por exemplo, uma opção de consentimento nos seus formulários, para que o usuário a selecione caso realmente tenha interesse em continuar recebendo outros tipos de conteúdo da empresa.

Outra opção, a qual optamos sempre utilizar em nossos clientes, é aquela em que permitimos que o usuário selecione que tipos de conteúdos ele deseja receber. Além de facilitar para que os conteúdos sejam ainda mais bem direcionados, essa opção permite que os usuários vejam mais valor no conteúdo que será distribuído posteriormente pela sua empresa.

Anúncios

Os anúncios normalmente se utilizam de segmentações para que sejam distribuídos de maneira mais eficaz e bem direcionada. Essas segmentações normalmente são baseadas no comportamento do usuário online, como que tipo de sites visita no caso do Google ou com que tipo de coisas interage nas redes sociais como no caso do Facebook.

Na maioria das vezes, o Google e Facebook agirão como os controladores dos dados dos usuários, sendo, portanto, eles os responsáveis por gerir e garantir que os usuários adicionem, excluam ou alterem seus dados para bases de anúncios.

Porém, é necessário ter atenção quando a própria empresa se colocar como controladora desses dados. Ela é obrigada a alertar esses usuários de que forma ela estará usando os dados deles, inclusive da possibilidade de uso desses dados para anúncios segmentados.

E-mail Marketing

Se você já utiliza a opção de opt-in em formulários para garantir que os usuários que se cadastram em landing pages e newsletter do seu site querem realmente receber seus e-mails, bom trabalho!

Caso você ainda não tenha utilizado essa opção ou não tenha sua base integralmente com as devidas permissões, é hora de pensar em estratégias para tentar garantir o opt-in dos usuários que ainda não estão em acordo com a LGPD.

Isso pode ser feito através de campanhas de reengajamento que também podem garantir que você consiga recriar um relacionamento com Leads que já não interagem há algum tempo.

Lembre-se de fazer uma boa limpeza da sua base de e-mails para garantir entregas cada vez mais eficientes e um relacionamento mais assertivo com o público!

Quais os riscos para quem não se adaptar às novas regras?

Talvez você imagine que não seguir essas regras à risca não leve a nada. Já vamos avisar que isso é um engano e que não se atentar a elas pode gerar multas altíssimas para o seu negócio.

A LGPD prevê multas de até 4% do faturamento total para aqueles que não seguem as regras. Além disso, mostrar que sua empresa se importa com a segurança na manipulação de dados dos usuários ajuda a gerar um relacionamento de mais confiança entre você e seus possíveis clientes. Afinal, ninguém quer ter seus dados vazados ou utilizados de forma não autorizada, certo?

Deu para entender o quanto se faz necessário entender melhor a LGPD e também como colocá-la em prática para não prejudicar seus negócios e nem os usuários, não é? Também é importante ficar de olho em prazos para colocar tudo isso em prática.

Até o início de 2020, o prazo para colocar a LGPD em prática nas empresas era agosto do mesmo ano. No entanto, com a pressão das organizações pela dificuldade de empregar todos os mecanismos necessários e cumprir a lei, e com o início da pandemia de Covid-19, o LGPD foi adiado por mais um ano, com início das sanções daqueles que não a cumprem para agosto de 2021.

Percebeu a importância de se adequar a LGPD e precisa de ajuda para colocar as novas regras em prática? Fale com um especialista na VX e saiba como podemos te ajudar!

Newsletter VX Comunicação

Que tal receber algumas recomendações de conteúdo personalizadas para você?

Qual seu interesse por marketing?